quarta-feira, 16 de junho de 2010

Sobre os desfavores que os homossexuais prestam a si mesmos

Como eu passo MUITO tempo na internet, quase sempre leio e vejo tudo que os meus amigos me recomendam. Há algumas semanas a Amanda me indicou indiretamente o vlog da Bárbara. Fui lá conferir.

Tenho que confessar que eu tenho MUITA preguiça de vlogs. A maioria dos que eu já assisti são um saco. Hoje em dia abro duas excessões: MeDaUmEspresso (que é o da Bárbara) e lreporta, que eu acho muito bons. Talvez (com certeza) por serem vlogs INTELIGENTES.

Enfim. No MeDaUmEspresso a Bárbara postou um vídeo chamado "Sobre os desfavores do Vaticano a vida de homossexuais e crianças" em função de um equivocadíssimo pronunciamento do Cardeal Tarcisio Bertoni.

A primeira coisa que eu tenho a dizer: Concordo plenamente. Acho que a Igreja Católica acaba cometendo absurdos em nome de Deus, e realmente presta vários desfavores a homossexuais, crianças e a todo mundo. Onde já se viu dizer que usar camisinha é pecado? Então sai passando AIDS pra geral, né? Botando um tanto de criança sem pai no mundo, né? Humpf.

Bem. Depois de ver o video fiquei pensando bastante sobre a questão e, tendo em vista a minha experiência de vida, percebo que não é só a Igreja que presta desfavores aos homossexuais. Muitos deles (é. de vocês.) se prestam desfavores tão grandes ou maiores.

Eu conheço muitos gays. Pra vocês terem uma idéia, eu estudei 3 anos na Faculdade de Letras da UFMG (quem conhece sabe) e agora faço Design (dispensa comentários). E tenho alguns amigos gays alheios ao meu ambiente acadêmico.

Então... Fico observando o comportamento deles e reparei em algumas coisas: Nenhum heterossexual que eu conheço sai por aí dizendo o tempo todo: "Por que eu sou hetero eu faço isso ou aquilo", mas já cansei de ouvir como justificativa para as mais diferentes coisas: "ah... mas é por que eu sou gay." Outro dia um cara querendo pagar de sabichão me disse que sabia TUDO sobre a faculdade de Letras, que conhecia todo mundo lá, que as pessoas eram "assim" ou "assado" (metendo o pau geral, sem saber que eu estudei lá e sabia o tanto de mentira que ele estava contando). Quando eu perguntei a ele qual o motivo de ele conhecer todo mundo e a vida de todo mundo e o comportamento de todo mundo da Letras ele me respondeu: "por que eu sou gay". Ele nunca estudou lá. Nunca estudou no Campus da UFMG. Nunca fez curso de extensão. E diz que conhece todo mundo só por que ele é gay? A não ser que eu esteja muito enganada, e todos os gays do mundo se conheçam, isso não é justificativa pra nada!

Um tempo depois disso, um outro gay que eu conheço sentou na mesa da cantina da faculdade e começou a contar casos de trabalho. Ele é garçom em um bar classe média-alta, e todos os casos que ele contou envolviam um casal de namorados hetero cujo rapaz esperava a namorada sair e dava mole pra ele. Eu não duvido que isso aconteça. Não mesmo, ainda mais na nossa sociedade preconceituosa e homofóbica que tem um tanto de gente no armário, mas daí pra todo mundo fazer isso é um pulo bem grandinho, né? O cara inventa essas histórias só pra contar pra todo mundo o tempo todo que ele é gay. Será que ele ainda não sabe que dá pra perceber sem ele precisar alardear?

Uma vez eu ouvi alguém dizer uma coisa: "Homem que é homem de verdade não precisa ficar o tempo todo falando que é macho. Se ele é macho mesmo, as pessoas percebem. E ele também não precisa ficar o tempo todo se defendendo de acusações sobre a sua opção sexual. Homem que é homem é seguro de si e de sua opção, e não liga pra boatos." (Não transcrevi literalmente, pois era uma conversa aleatória e eu não gravei. Mas foi algo assim.) A parte legal é que quem falou isso foi um gay para um cara que ficava o tempo todo se defendendo de piadas de gay, dizendo que ele não era gay. E depois esse meu amigo me disse que apostava que o tal era gay sim, de tanta necessidade de auto-afirmação. Então, se você é gay e precisa ficar dizendo isso o tempo todo, a recíproca deve ser verdadeira, né? Você é hetero enrustido!

Ficar se auto-afirmando o tempo todo é chato. Ficar contando casos da sua vida sexual o tempo todo é chato. Usar a sua opção sexual para justificar merdas é muito chato. Tudo isso são desfavores que os homossexuais prestam a si mesmos. Com quem você transa é problema seu. Nem a minha melhor amiga hetero fica me contando como são as experiências sexuais dela se e não quiser ouvir, e sempre que eu chego em um bar ou boate gay ouço três ou quatro caras ou mulheres contando em detalhes suas experiências... Qual o motivo de tanta exposição?

Talvez se os gays começarem a se comportar como pessoas que fizeram uma escolha diferente da maioria, mas não alardeando isso aos 7 ventos, a sociedade passe a enxergá-los de uma forma diferente. Enquanto homens e mulheres expuserem suas vidas e escolhas sexuais para quem quer e não quer ouvir, desrespeitando o direito de "não querer saber" dos outros, serão agredidos e desrespeitados. E eu acho tudo isso uma pena pois, ao contrário do que muita gente pensa, gays são legais e ótimos melhores amigos.




PS: Nem tudo que eu disse se aplica a todos os homossexuais. Conheço homens e mulheres que assumem sua opção abertamente, mas você só vai saber disso se chegar perto o suficiente. Isso é respeito.

PS2: Não, eu não sou lésbica.


  • Stumble This
  • Fav This With Technorati
  • Add To Del.icio.us
  • Digg This
  • Add To Facebook
  • Add To Yahoo

3 comentários:

Amanda Pavani disse...

Achei válido, rebeca. Eu já pensei comigo mesma que essa questão de se superexpor, pra algumas pessoas, funciona como forma de desafio e ao mesmo tempo uma defesa. Enxergo perfeitamente porque os heteros não precisam fazer isso: porque estamos do lado culturalmente privilegiado. Antigamente teria gente dizendo até que nós estamos 'do lado certo'. Não há necessidade de expor nossa vida sexual, porque estamos do lado seguro. Agora, sair da adolescência e sustentar a sua preferência sem precisar explicitá-la o tempo todo é algo que a gente espera que aconteça naturalmente, de forma posterior à formação de identidade típica da adolescência. Mas, como cada um se desenvolve na sua velocidade, muitos vão se descobrir depois, vão se encarar depois, e pelo mesmo motivo, isso vai acontecer mais pra frente, se é que vai rolar mesmo.
Eu acho que abstraí demais no meio do comentário, mas enfim, é isso.

-Wilson- disse...

Oi senhorita Rebeca, tudo bem?
Pois é, concordo plenamente com o que você diz nesse seu post muito feliz, assim como todos os outros, você sabe que sou seu fã...Um pouco sumido, mas sou...E por falar nisso que dia vamos marcar um café para colocar as novidades em dia hein?? Mil beijos para você beca...Amo você minha amiga...

Érica Araújo disse...

E o pior é que já vi muito heterossexual se auto afirmando. Não sei, mas talvez esse seja um problema geral que independe da opção sexual. A sexualidade é um tabu e enquanto não se discutir e não perdermos todo esse pudor de ouvir, essa exposição será feita e vista por fim, como um alarde. E mesmo essa exposição será desnecessária, quando entendermos essas coisas como naturais. Coloco de fora - é claro - aqueles que não querem ouvir, pois os nossos ouvidos não são "pinicos". rs

 
Copyright 2010 Retro | Powered by Blogger.