sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Eu também sou desmedida


"A moderação sempre me intrigou, não consigo compreendê-la direito e tenho um certo medo dessas pessoas deliberadas e pausadas, que pensam no que lentamente falam e fazem sempre o que devem fazer, nos limites que querem observar. Só consigo ser desabrida e só me dou efetivamente bem com os desabridos, seja como pessoas, seja como artistas ou pensadores."

(João Ubaldo Ribeiro, in "A Casa dos Budas Ditosos")


É isso. Andam me perguntando quem eu sou. E andam me recriminando por sê-lo. Sou extrovertida - demais, até. Nunca me incomodei, e já consegui grandes amizades assim. Que o digam o Phillipe, a Isadora, e muitas outras pessoas que tive o prazer imenso de conhecer através da internet ou através de amigos de amigos, e depois trazê-las para o meu círculo de amizades "reais" (se amigos da internet são ou não reais, isso é assunto pra outro post). Simples assim: "Oi. Te achei interessante. Vamos ser amigos?" O "não" eu já tenho sempre como resposta... Aquela velha história do fifty-fifty... O maior risco que corro - se é que se pode chamar isso de risco - é de ganhar um "Sim."

Pessoal, que tal a gente tentar ser autêntico de vez em quando? Claro que sempre alguém vai dizer que a gente é feio, bobo e chato. Mas e daí? Eu já consegui - pasmem - ganhar o título de "Mais feia da faculdade". E daí? Só "feia"? Esqueceram o "boba" e o "chata". Quando eu era do pré-primário os três adjetivos sempre andavam juntos.

Eu dou a minha cara pra bater. E aqui as coisas funcionam assim: Leu e gostou? Que ótimo! Deixe um comentário. Vou ter o MAIOR prazer em te responder (caso você deixe um meio de contato) e, quem sabe, você pode virar o meu mais novo amigo? Ou parceiro de idéias, ou de blog, ou apenas um leitor assíduo! Leu e NÃO gostou? Que pena. Tem um espaço ali em cima, ó, que se chama "barra de navegação". Clica lá e digita qualquer coisa. Se não entrar em site nenhum, pelo menos do meu blog você já estará fora.

Se até os heróis das tragédias gregas eram caracterizados por suas desmedidas, eu também tenho o direito de, vez por outra, cometer as minhas hybris*...

Isso pode parecer rude, grosseiro, ou sei lá. Mas na verdade a intenção não é essa. O que eu quero dizer mesmo é o que eu já disse (estudante de letras cometendo pleonasmo? shame you, Rebeca): Autenticidade, galera. Pelo menos um pouquinho. Ninguém tem obrigação de gostar das minhas verborragias. Especialmente pelo fato de serem apenas verborragias. Eu não gosto de Almodóvar. E nem por isso sou uma pessoa pior (tá. nesse caso talvez seja).

Esse foi um "post-desabafo". Juro que vou tentar não fazer isso de novo. Isso é coisa de gente "feia, boba e chata".

Por agora vamos a Homero, que eu tenho prova de língua terça-feira. (Mentira. Nem é Homero. É só um trecho do evangelho. Mas Homero dá mais glamour.)

Au revoir.

* "Hybris é um termo grego que significa o desafio, o crime do excesso e do ultraje. Traduz-se num comportamento de provocação aos deuses e à ordem estabelecida". Leia mais clicando aqui.

  • Stumble This
  • Fav This With Technorati
  • Add To Del.icio.us
  • Digg This
  • Add To Facebook
  • Add To Yahoo

1 comentários:

Marcelo disse...

Tente fazer isso de novo, chega de regrinhas dos blog "arroz com feijão"
Eu gostei do desabafo, procuro blog´s assim. E é tão difícil encontrar.

 
Copyright 2010 Retro | Powered by Blogger.